Hojojutsu

Hojojutsu é a arte de prender e amarrar um prisioneiro, usando uma corda. Desenvolvida no Japão feudal, era praticada pela classe dos samurai. A palavra “hojo” é formada pelos kanji “ho”, que também é pronunciado “tori”, e significa “capturar, prender”; e “jo”, que também é pronunciado “nawa”, e significa “corda”. A palavra “jutsu” significa “arte, habilidade”.

A principal razão de se atar alguém veio da necessidade de se prender, manter vivo ou impedir a fuga de determinado indivíduo. Era o caso do período feudal no Japão, quando o inimigo era capturado para fornecer informações, ou ser utilizado em troca de alguém importante que fora capturado do outro lado. Há várias outras razões pelas quais o hojojutsu era utilizado. Uma delas era segurar um prisioneiro a ser apresentado a alguma autoridade, num eventual julgamento por crimes cometidos. Assim, os japoneses se destacam por terem desenvolvido um sofisticado sistema de uso de corda para amarrar pessoas.

O Hojojutsu foi incorporado ao conhecimento marcial do bushi e usado principalmente na sangrenta era do ‘Sengoku Jidai’. A classe inferior dos oficiais, chamada de ‘okapiki’, aprendia formas básicas de hojojutsu sob a supervisão dos oficiais da classe samurai. A tarefa de amarrar um prisioneiro ou suspeito era relegada às patentes inferiores. 

Com a restauração Meiji (1887), o Hojojutsu caiu em desuso. É importante observar que os prisioneiros eram amarrados de uma maneira específica, indicando seu status social. Cada método de amarração indicava a posição social que o prisioneiro ocupava e o crime que cometera. Há, dentro do hojojutsu, técnicas especiais para pessoas com braços fortes ou capazes de desfazerem os nós, de modo que, quanto mais a pessoa atada se mexia, mais se estrangulava.

As cordas em geral eram feitas de linho, seda ou cânhamo. No período Edo, cordas coloridas indicavam o crime e o status da pessoa. Por exemplo, a corda branca era usada para crimes menores, enquanto a corda azul era usada para crimes graves. Se a pessoa fosse alguém importante, era usada a corda violeta. Se fosse de classe baixa, usava-se uma corda preta.

Durante esse período, ser amarrado com uma corda passando pelo pescoço era extremamente humilhante. Alguns consideravam pior que a morte. 

Vários tipos de nós são utilizados, com finalidades que vão desde apertar, estrangular ou atar um prisioneiro a outro. O Kaze no Ryu Bugei possui o Hojojutsu em sua grade curricular, mas outras escolas também desenvolveram essa modalidade, como a Fujiwara Ryu, Chokuji Goden Ryu, Sekieuchi Shin Shin Ryu e muitas outras.

Um dos métodos de capturar um prisioneiro consistia em se lançar uma espécie de gancho que derrubava a pessoa. Essa era então amarrada numa intrincada rede de corda, que a paralisava completamente. Hoje poucos são os mestres que dominam o hojojutsu tradicional. A polícia moderna do Japão ainda carrega consigo cordas para conter os prisioneiros, além das algemas.